Roubo de cargas cresceu 4,8% em 2023 no Brasil, revela pesquisa

Sudeste concentrou 76% de todos os roubos de carga no país, com SP e RJ respondendo por 70% dos casos; especialistas da companhia preveem aumento de 1,1% no roubo de cargas em 2023

Foram registradas 17.108 ocorrências de roubos de cargas no Brasil em 2023, uma alta de 4,8% em relação ao ano anterior. Os dados são do relatório anual desenvolvido pelo Centro de Inteligência da Overhaul, empresa de software de gerenciamento de riscos e visibilidade da cadeia de suprimentos.

De acordo com as informações levantadas, especialistas em gestão de riscos da companhia preveem um aumento de 1,1% no roubo de cargas para 2024. Ao todo, a estimativa é de 17.298 ocorrências.

“Além do prejuízo financeiro causado pelo valor da carga roubada, há também o aumento das taxas de seguros, interrupções no fornecimento, gastos extras com frete, altos investimentos em segurança e restrições operacionais”, explicou o gerente de Inteligência da Overhaul Brasil, Reginaldo Catarino.

SUDESTE CONCENTRA OCORRÊNCIAS

O Centro de Inteligência detectou que o maior índice de roubos de carga ocorreu na região Sudeste (76%), com foco nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. No entanto, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás também foram foco desse tipo de crime e, juntos, os estados citados concentraram 88% das ocorrências.

São Paulo e Rio de Janeiro se mantiveram como os principais focos dos altos números de roubo de carga no país, com uma alta de 4% no número de ocorrências em São Paulo. Juntos, esses dois estados responderam por 70% de todos os casos registrados em 2023.

No entanto, houve uma mudança em relação a 2022. Enquanto o Nordeste ocupou a segunda posição no período, o Sul se posicionou como a segunda região com mais ocorrências de roubo de carga em 2023.

TERÇA-FEIRA É O DIA DE MAIOR RISCO

No que diz respeito aos dias da semana com maior incidência de roubo de carga, terça-feira se destacou como o dia com maior risco, representando 22% dos incidentes. “Essa mudança em relação a 2022, quando quarta e quinta-feira lideravam os índices, reflete a concentração de movimentação de cargas durante os dias úteis e oferece oportunidades para os criminosos explorarem vulnerabilidades na segurança das operações logísticas”, analisou Catarino.

Já em relação aos horários, os roubos de carga continuaram prevalecendo pela manhã, entre 6h e 12h, representando 50% dos casos. No entanto, chamou a atenção o aumento significativo de roubos no período da tarde, das 12h às 18h, que passou de 6% para 31% em 2023.

Ainda segundo o especialista, esse aumento pode ser explicado pelo fato de os criminosos esperarem os motoristas fazerem paradas para descanso e, assim, terem a oportunidade de abordá-los sem levantar suspeitas.

O TIPO DE ROUBO

A análise da Overhaul apontou o aumento dos roubos em ruas e rodovias, demonstrando a disseminação dos diferentes tipos de roubos em que as gangues atuaram em 2023. Além disso, o sequestro de carga continua sendo o tipo de ação criminosa mais recorrente, representando 84% dos casos.

A fraude, que envolve indícios de facilitação de funcionários diretos ou indiretos das operações de transportes, registrou um aumento de 9 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Reginaldo Catarino ressaltou que, diante desses dados, fica evidente a necessidade de ações mais efetivas por parte das autoridades e das empresas para combater o roubo de cargas no Brasil. “Medidas como o aumento da segurança nas estradas, investimento em tecnologia de rastreamento e inteligência artificial, e ações de conscientização e treinamento para os profissionais envolvidos no transporte de mercadorias são fundamentais para reduzir o problema.”

Fonte: Mundo Logístico

Compartilhe com amigos
Posts recentes
plugins premium WordPress